Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
OPINIÃO / A Agricultura com Esperança nos Jovens e na Inovação
Dissertar sobre o tema da inovação no sector agrícola é introduzir uma temática que se impõe pela sua relevância e pela sua actualidade.

O ambiente económico é cada vez mais aberto, competitivo e sujeito a múltiplas e rápidas mudanças. A capacidade estratégica dos agricultores e restantes agentes do sector para anteciparem estas mudanças e para assumirem riscos, ou seja, a sua competência para inovar, é cada vez mais decisiva para a sua sobrevivência económica. No entanto, esta depende de uma grande diversidade de factores, entre os quais, a situação financeira das suas empresas e explorações agrícolas, a existência de incentivos apropriados, a presença de um sistema de investigação e desenvolvimento tecnológico dinâmico e adaptado à realidade e constrangimentos nacionais.

Hoje em dia, mais de 70% do consumo nacional de alimentos provém do exterior. Num contexto de crescente escassez de alimentos a nível global e tão grande dependência alimentar – além de um pesado ónus sobre as contas externas – este facto comporta um risco importante para a nossa segurança alimentar. Esta grave fragilidade nacional não é, todavia, uma fatalidade determinada pelas nossas condições naturais, pelo que a agricultura pode dar um contributo bem mais significativo para a economia e para a soberania alimentar do País.

Acresce que, tratando-se de sectores produtores de bens transaccionáveis, o investimento na agricultura contribui directamente para a redução do desequilíbrio da nossa balança comercial, enquadrando-se na que deve ser a prioridade da política económica. Por outro lado, só promovendo o desenvolvimento rural sustentável será possível conter o êxodo rural e responder às necessidades da sociedade em matéria de bens públicos, como o ordenamento do território, a preservação da paisagem, do património cultural, do ambiente e da biodiversidade, bem como contribuir para a contenção das alterações climáticas.

Por conseguinte, todos estes aspectos dependem das políticas públicas em diversas áreas, pelo que se exige dos Governos uma visão integrante e integradora. Infelizmente, não o temos constatado em dose razoável.

Não raras vezes ouvimos “o mundo rural está envelhecido”. Os números não o desmentem: o último Recenseamento Geral da Agricultura publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), com data de 1999, refere que, do total de 375.938 agricultores, cerca de 77% - ou 289.291 – são homens e 198.065 têm mais de 55 anos. Este choque de gerações é, só por si, um bom incentivo. Diferentes atitudes entre empresários experientes, com mais idade, e jovens recém-formados, com ideias inovadoras ajustadas à sociedade actual, é, à partida, um catalisador de novas oportunidades. Não obstante, muito está por fazer no domínio da investigação e desenvolvimento tecnológico e no que se refere à desejável ligação universidade/mundo empresarial. Temos que ser exigentes na reabilitação da investigação e experimentação agrícola aplicada, privilegiando parcerias com o ensino universitário e as organizações agrícolas ou empresas sectoriais interessadas.

Só estaremos no caminho da inovação no sector agrícola quando se verificar a queda na desertificação do mundo rural e quando a agricultura, a floresta, os serviços de proximidade, a valorização do ambiente, o lazer e turismo forem actividades fundamentais na construção de um meio rural sustentável.

Urge criar um quadro de apoio à instalação de jovens empresários rurais, de forma a incentivar o seu espírito empresarial. No entanto, e no que respeita a estes incentivos, deve-se atender aos diferentes níveis de necessidade de cada região, através de uma discriminação positiva.

No âmbito dos apoios comunitários à agricultura, é essencial simplificar as normas e descentralizar os procedimentos para a sua concessão, não deixando de rever o sistema de fiscalização, com vista a uma maior eficácia. Só com um PRODER a ser efectivamente executado – abrindo o leque dos sectores e das empresas apoiadas, simplificando, desburocratizando e descentralizando o programa na medida do possível – é que teremos assegurado o início de um processo de inovação e de desenvolvimento do mundo rural. Impõe-se aqui colocar o Ministério da Agricultura ao serviço dos agricultores, com reforço do associativismo e cooperativismo, actuando numa perspectiva de fornecedor/cliente, alterando o seu funcionamento, simplificando os processos e tornando-o competitivo na captação e gestão dos fundos comunitários.

Em jeito conclusivo, não há quadro de inovação possível sem um conjunto de políticas correctas, de prioridades claras e de soluções exequíveis. A minha esperança na capacidade dos Jovens Agricultores Portugueses é maior do que qualquer dificuldade que se me apresente!

Artigo redigido para a revista "Jovens Agricultores", da Associação dos Jovens Agricultores de Portugal

05-05-2010 Partilhar Recomendar
27-05-2020
Covid-19: Ministério da Agricultura não injetou um único euro de novas verbas no setor
    Um dia após a audição da Ministra no Parlamento, Emília Cerqueira afirmou que o executivo se limitou a apresentar linhas de crédito e adiantamentos da PAC.
13-05-2020
Covid-19: Setor agrícola não está a receber os apoios necessários
    Emília Cerqueira lamenta que o governo não esteja a apoiar devidamente o setor agrícola.
09-04-2020
Covid-19: Apoios ao setor vitivinícola podem não ser suficientes
    Numa pergunta dirigida à Ministra da Agricultura, os social-democratas consideram que a fileira do vinho deve ter um acompanhamento profundo, ativo e inovador por partes das políticas públicas.
03-04-2020
PSD pede explicações ao Governo sobre setor agroalimentar e dissolução da direção do IFAP
    Os deputados do PSD questionaram a ministra da Agricultura sobre medidas a implementar, de forma rápida e eficaz, para apoiar os agricultores e produtores nacionais.
13-03-2020
O PSD tem lutado, muitas vezes quase sozinho, contra os ataques ao mundo rural
    Emília Cerqueira garante que os sociais-democratas pretendem evitar propostas que são “ataques e atentados” à produção nacional.
05-03-2020
Governo “foi displicente e falhou rotundamente” na proteção dos animais errantes
    António Lima Costa considera que a inação do governo resultou numa “situação totalmente caótica e fora de controle”.
28-02-2020
PSD quer explicações sobre apoios do PDR2020
    Um dos casos mais preocupantes é o da Quinta das Amoras em Idanha-a-Nova, afetada por uma intempérie em dezembro de 2017, mas que até agora não recebeu qualquer apoio para compensar os prejuízos de 800 mil euros. Os proprietários esbarram na burocracia do Estado, que ameaça o futuro da exploração agrícola.
13-02-2020
António Ventura: “é preciso não humanizar os animais e desumanizar as pessoas”
    O social-democrata fala numa hierarquização de prioridades em que não se podem colocar os animais primeiro que as pessoas.
04-02-2020
IRS destinado a jovens deve abranger também os que são trabalhadores independentes
    Margarida Balseiro Lopes não compreende que esta medida seja apenas aplicável a jovens trabalhadores por conta de outrem.
04-02-2020
PSD defende o apoio a empresas agrícolas afetadas por fenómenos climáticos
    Emília Cerqueira enfatizou que o PSD pretende assim dar um maior apoio ao mundo rural tão esquecido por este governo.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
28-05-2020 Sessão Plenária
29-05-2020 Comissões parlamentares
02-06-2020 Comissões parlamentares
03-06-2020 Debate quinzenal com o Primeiro-Ministro
03-06-2020 Comissões parlamentares
04-06-2020 Sessão Plenária
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas