Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Não podemos continuar a privilegiar o descartável num planeta que não o é”
Bruno Coimbra considera que “o plástico é hoje uma calamidade” e que é preciso agir.
“Estamos a correr contra o tempo. Hoje, é por demais evidente que estamos a correr contra o tempo e a perder a batalha para a qual estamos convocados a nível ambiental. Alterações climáticas, fenómenos extremos, contaminação por microplásticos, são diferentes faces de um só problema: o resultado da ação humana no planeta”. Estas foram as palavras iniciais de Bruno Coimbra, esta quinta-feira, no debate de um Projeto que determina a necessidade de alternativa à disponibilização de sacos de plástico ultraleves e de cuvetes em plástico nos pontos de venda de pão, frutas e legumes.
De seguida, o parlamentar afirmou que estamos a correr contra o tempo, pois estes são problemas que o tempo não vai resolver por si só, apenas agudizar. “A verdade é que, por mais difíceis que sejam as alterações comportamentais que temos de assumir enquanto sociedade, não podemos continuar a privilegiar o descartável num planeta que não o é. Estamos a correr contra o tempo, pois já nem falamos dos problemas da propagação descontrolada e da poluição dos plásticos lá longe, nas correntes do pacífico ou em ilhas paradisíacas do índico transformadas em lixeiras de plástico a céu aberto. Nem mesmo essa errada e confortável ilusão de distância do problema nos é permitida agora. O problema está aqui, na soleira da nossa porta”.
De acordo com o social-democrata, todos os dias somos confrontados com novas notícias: o Estuário do Douro inundado de microplásticos, Praias de Tavira cobertas por marés de lixo, o peixe contaminado que pomos nos nossos pratos e que damos a comer aos nossos filhos. Isto tudo, adianta, porque o plástico, esse material extraordinário, resiliente, versátil e tão útil, é hoje uma calamidade.
Dirigindo-se às restantes bancadas, o parlamentar alertou que “é preciso que as nossas ações mostrem que os estamos a ouvir, e que o muito que já fizemos, seja amplamente superado pelo que ainda podemos fazer: as nossas ações têm de ser grandes o suficiente para falarem mais alto do que o ensurdecedor ruído que o planeta tem feito exigindo mais de nós. Assim não nos falte a vontade nem a coragem política”.
“Temos de fazer um esforço conjunto para encontrar soluções com vista à substituição gradual, mas efetiva do plástico descartável no quotidiano dos cidadãos. Um esforço que engloba o recurso a novos materiais, novos designs, novos hábitos, novas fileiras de reciclagem e novos empregos daí decorrentes.” O PSD defende que uma Economia forte e um Ambiente saudável não são inimigos, não são opostos, podem e devem coexistir e potenciar-se”.
No que respeita à atuação do PSD no governo, Bruno Coimbra recordou que 2em 2015 fizemos nascer o Compromisso para o Crescimento Verde, que envolveu mais de uma centena de organizações da sociedade civil, consolidando políticas e reformas, e colocando Portugal na liderança da economia verde. Desenhámos o Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos, que trouxe ambição na reciclagem e na reutilização de resíduos. E com a Fiscalidade Verde, gerámos a maior mudança comportamental da sociedade portuguesa, reduzindo drasticamente a utilização dos muito nocivos sacos de plástico leves. No que diz respeito ao Plástico, operámos a maior mudança de hábitos de vida dos portugueses com benefício para todos. Mais recentemente, apresentámos projetos para o cumprimento das metas de redução de resíduos de plástico. Apontámos ao fim da utilização de louça descartável de plástico na restauração, e à sua substituição por materiais 100% biodegradáveis. Viabilizámos e melhorámos projetos para implementação de um sistema nacional de incentivo e depósito de embalagens de bebidas. Mesmo na discussão do Orçamento do Estado para 2019, voltámos ao tema, propondo e garantindo a eliminação de uma proposta do governo, direcionando a mesma para o desincentivo à utilização dos sacos-de-plástico de maior gramagem. O PSD tem tido um papel muito ativo na defesa de um melhor ambiente, partilhando conhecimentos e vontade política para minorar, em Portugal e no Mundo, o flagelo do plástico e promover a economia circular”.
A terminar, Bruno Coimbra reiterou a ideia de que estamos numa corrida contra o tempo. “Os nossos índices de reciclagem estão muito aquém do necessário. É imprescindível desbravar o caminho da substituição de componentes de embalagens, que permitam alcançar o mesmo fim. Por tudo isto, estamos disponíveis para viabilizar o Projeto que aqui hoje discutimos e a detalhar a discussão e a melhoria do mesmo em sede de especialidade, no grupo de trabalho que a Comissão de Ambiente criou para o efeito”. “Precisamos de uma nova consciência coletiva, inspirada e impulsionada pelo sentido de urgência que temos diante de nós. Esta é uma luta em que não há lados. Não há comunistas, socialistas, social democratas, bloquistas, ou centristas. Contra a natureza, ninguém ganha. Contra o planeta ninguém sai vitorioso. Perdemos todos. Acredito que podemos convergir nas matérias fundamentais, para concretizarmos mudanças para um mundo e para um futuro melhor”, concluiu o parlamentar.

11-04-2019 Partilhar Recomendar
12-02-2020
Hugo Oliveira manifesta preocupação do PSD com a contaminação dos solos
    O deputado levantou algumas questões sobre as condições do terreno que irá acolher as Jornadas Mundiais da Juventude em 2022.
03-02-2020
“A aposta nas compras públicas ecológicas tem de ser priorizada”
    Bruno Coimbra defende a incorporação de critérios ambientais específicos que motivem mudanças nas opções de quem adquire e fornece bens e serviços.
18-12-2019
COP 25: “os compromissos ficaram aquém daquilo que a realidade exige”
    Para Bruno Coimbra os pequenos avanços obtidos não chegam.
18-12-2019
“O Fundo Ambiental não está a desempenhar a missão para a qual foi desenhado”
    Nuno Carvalho afirma esta que situação revela que “as políticas do Governo não são verdes, são verdinhas”.
12-12-2019
PSD quer que o Governo torne pública a lista dos edifícios com amianto
    Filipa Roseta exortou ainda o governo a cumprir a lei que determina a remoção de amianto dos edifícios.
04-12-2019
“As alterações climáticas são o maior desafio que a humanidade tem pela frente”
    Bruno Coimbra considera que “necessitamos de políticas sólidas e consequentes”.
04-12-2019
Ambiente: Hugo Carvalho desafia o BE a comprometer-se com metas
    O parlamentar incitou os bloquistas e serem mais ambiciosos em termos ambientais.
29-11-2019
Hugo Carvalho: “estamos ao lado da ação climática”
    O deputado saudou todos os jovens que se comprometem com a ação climática.
20-11-2019
Amianto: Filipa Roseta incita o governo a passar das palavras aos atos
    A deputada lembra que há uma “quantidade inacreditável” de iniciativas que já foram aprovadas e que continuam sem sair do papel.
15-11-2019
Margarida Balseiro Lopes: PSD quer o Governo a cumprir os critérios de silvicultura no âmbito do Plano de Recuperação da Mata Nacional de Leiria
    Projeto de Resolução apresentado pelo PSD.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas