Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Previsibilidade fiscal: mais uma promessa socialista que não foi cumprida
Cristóvão Crespo refere que, em média, o governo muda a lei a cada 3 ou 4 meses.
Cristóvão Crespo aproveitou o debate de iniciativas do governo que visam a alteração de diversos códigos fiscais para denunciar os princípios, a prática e a política fiscal deste governo e desta maioria.
Recorda o deputado que, em abril de 2015, António Costa dizia que «a lei fiscal tem sido mudada permanentemente e temos de estabilizá-la, promovendo apenas no primeiro ano da legislatura, durando até ao primeiro ano da legislatura seguinte, as alterações que devem existir». Já o governo da atual maioria refere que: «a vida das pessoas e o sucesso dos projetos empresariais depende de uma certa estabilidade e previsibilidade. Não é possível planear e programar projetos de vida e tomar decisões relativas a investimentos pessoais e empresariais sem um quadro fiscal minimamente estável destinado a garantir que uma boa decisão tomada num certo contexto fiscal não se transforma numa má decisão por esse contexto ter mudado».
Tenho em conta estes princípios norteadores, o deputado frisou que “na prática foi tudo ao contrário”. “Só a título de exemplo, em três dos principais impostos que constam da Proposta de Lei. O imposto municipal sobre imóveis (IMI), esta é 9ª alteração. No imposto sobre as pessoas singulares (IRS), esta será a 10ª alteração. No imposto sobre as pessoas coletivas (IRC), esta será a 12º alteração da legislatura. Em média de 3 a 4 meses a lei muda”.
De seguida, Cristóvão Crespo enfatizou que se quanto à falta de princípios e às más práticas a situação é grave, quanto ao conteúdo, “os resultados conseguiram suplantar as piores previsões. Os resultados são sempre novos recordes de carga fiscal, chamem-se de impostos, adicionais ou contribuições. Foi sempre a crescer: 34,1% em 2016, 34,4% em 2017 e será 35,4 em 2018. O conteúdo encerra ainda falta de transparência e de respeito pela Assembleia da República e pelos Portugueses”.
A terminar, Cristóvão Crespo destacou a “falta de princípios, más práticas e abuso fiscal. Estas são as marcas fiscais desta maioria em final de legislatura”.
05-04-2019 Partilhar Recomendar
21-05-2020
Novo Banco: PSD pede esclarecimentos por escrito em nome da “transparência e do rigor” das contas públicas
    Duarte Pacheco anunciou que, depois de Rui Rio ter feito no debate quinzenal “perguntas pertinentes” ao Primeiro-Ministro, que “não obtiveram resposta”, o PSD quer ter acesso à documentação sobre a gestão do banco.
06-05-2020
Banca: não distribuição de dividendos deixa mais verbas disponíveis para o “financiamento da economia real”
    Carlos Silva alerta que os bancos vão ser muito pressionados pelo aumento de malparado ao longo deste e do próximo ano.
28-02-2020
Márcia Passos: “deixar impunes aqueles que não cumprem é fomentar o incumprimento e potenciar a irresponsabilidade”
    A deputada manifestou a indisponibilidade do PSD para instituir estas práticas.
27-02-2020
“É inaceitável que os Bancos cobrem por serviços não prestados”
    Carlos Silva considera que estamos perante “uma espécie de pagar para poder pagar”.
27-02-2020
Banca: PSD quer acabar com comissões nas situações em que não há liberdade contratual por parte do consumidor
    Álvaro Almeida fala num aumento da proteção do consumidor.
27-02-2020
Proposta do PSD para o fim de comissões bancárias é razoável, justa e equilibrada
    Hugo Carneiro saudou o consenso em torno do fim das comissões de extrato bancário, declaração de dívida e cobrança de prestações de crédito.
26-02-2020
Novo Banco: governo enganou os portugueses
    Jorge Paulo Oliveira diz que o Novo Banco está a ser limpo à custa do erário público.
05-02-2020
Duarte Marques defende proposta de reequilíbrio financeiro para Politécnicos e Universidades
    Proposta dos sociais-democratas visa fazer com que Presidentes dos Politécnicos e Reitores deixem de andar de “mão estendida”.
14-11-2019
Grupo Parlamentar do PSD elegeu Coordenadores e Vice-coordenadores
   
19-07-2019
Comissão de Inquérito à Caixa: desde o início que a esquerda queria “esconder a verdade dos portugueses”
    Duarte Pacheco lamentou que a esquerda não tenha tido coragem de assumir que “houve gestão danosa na Caixa
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas