Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Cativações impediram as entidades reguladoras de efetuar investigações muito importantes
Para Carlos Silva esta é claramente uma situação lesiva dos interesses do Estado e dos portugueses.
Carlos Silva entende que o Parlamento deu, nos últimos anos, passos importantes no sentido de reverter uma realidade em que as entidades reguladoras nada viam ou queriam ver. Esses passos, adianta o deputado, conduziram a uma melhoria substancial no modo de fiscalização e controlo de setores que se encontravam desregulados e tornaram estas entidades verdadeiramente independentes e a atua na defesa do interesse público. Neste âmbito, recorda,
a aprovação da Lei quadro das entidades reguladoras independentes de 2013, teve um impacto muito relevante ao nível da supervisão e regulação dos mercados, “nomeadamente o impedimento de recondução dos titulares dos cargos de supervisão, a submissão dos indigitados ao filtro curricular da CRESAP, o escrutínio parlamentar antes da sua nomeação, reforço da sua autonomia orçamental, através da criação de receitas próprias, poderes reforçados em matéria de fiscalização e transparência e ainda não a criação, em 2011, do Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão. Estas ações visaram a desgovernamentalização e despolitização da regulação dos mercados, reduzindo o espaço de captura regulatória, e consequente imunidade às mudanças de ciclo eleitoral”.
De seguida, Carlos Silva admitiu que nem tudo está perfeito, mas sublinhou que “o que não pode e não deve ser feito é, a pretexto de alguns casos de dimensão relevante e que tem sido alvo de atenção por parte dos Portugueses, vir o governo atacar a independência dos reguladores, fragilizando as Instituições, escamoteando as suas responsabilidades. Veja-se os ataques relativamente recentes do Primeiro-Ministro e líder parlamentar do PS ao Governador do Banco de Portugal, que suscitaram a intervenção do Presidente da República para proteger a independência do Banco de Portugal. Veja-se o que se passou com a nomeação dos Administradores do Banco de Portugal e dos novos membros do Conselho de Finanças Publicas, quando estiveram em cima da mesa nomes que não se tratavam de Boys e Girls do PS”.
Contudo, o social-democrata afirmou que este comportamento do PS já não é de estranhar. “Este é o governo que, através das cativações, impede que entidades reguladoras tenham efetuado investigações muito importantes, por falta de recursos humanos e materiais, nalguns casos as cativações atingiram 40% do seu orçamento anual. Esta é claramente uma situação lesiva dos interesses do Estado e dos portugueses. Há claramente um padrão de enfraquecimento dos reguladores, levado a cabo por este governo, não só na sua missão, mas também na sua independência”.
A terminar, Carlos Silva enfatizou que “estas situações não podem continuar a existir, sob pena de o Estado falhar na sua função de regulador e protetor da confiança e dos direitos dos consumidores. Da parte do PSD, não cederemos nem permitiremos que este governo continue a pôr em causa a independência das instituições, e com isso fragilize o bom funcionamento da economia”.
15-03-2019 Partilhar Recomendar
21-05-2020
Novo Banco: PSD pede esclarecimentos por escrito em nome da “transparência e do rigor” das contas públicas
    Duarte Pacheco anunciou que, depois de Rui Rio ter feito no debate quinzenal “perguntas pertinentes” ao Primeiro-Ministro, que “não obtiveram resposta”, o PSD quer ter acesso à documentação sobre a gestão do banco.
06-05-2020
Banca: não distribuição de dividendos deixa mais verbas disponíveis para o “financiamento da economia real”
    Carlos Silva alerta que os bancos vão ser muito pressionados pelo aumento de malparado ao longo deste e do próximo ano.
28-02-2020
Márcia Passos: “deixar impunes aqueles que não cumprem é fomentar o incumprimento e potenciar a irresponsabilidade”
    A deputada manifestou a indisponibilidade do PSD para instituir estas práticas.
27-02-2020
“É inaceitável que os Bancos cobrem por serviços não prestados”
    Carlos Silva considera que estamos perante “uma espécie de pagar para poder pagar”.
27-02-2020
Banca: PSD quer acabar com comissões nas situações em que não há liberdade contratual por parte do consumidor
    Álvaro Almeida fala num aumento da proteção do consumidor.
27-02-2020
Proposta do PSD para o fim de comissões bancárias é razoável, justa e equilibrada
    Hugo Carneiro saudou o consenso em torno do fim das comissões de extrato bancário, declaração de dívida e cobrança de prestações de crédito.
26-02-2020
Novo Banco: governo enganou os portugueses
    Jorge Paulo Oliveira diz que o Novo Banco está a ser limpo à custa do erário público.
05-02-2020
Duarte Marques defende proposta de reequilíbrio financeiro para Politécnicos e Universidades
    Proposta dos sociais-democratas visa fazer com que Presidentes dos Politécnicos e Reitores deixem de andar de “mão estendida”.
14-11-2019
Grupo Parlamentar do PSD elegeu Coordenadores e Vice-coordenadores
   
19-07-2019
Comissão de Inquérito à Caixa: desde o início que a esquerda queria “esconder a verdade dos portugueses”
    Duarte Pacheco lamentou que a esquerda não tenha tido coragem de assumir que “houve gestão danosa na Caixa
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas