Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Margarida Mano: “a educação não foi nem é uma aposta para este governo”
A deputada considera que, também na área da educação, “o Orçamento é mais uma oportunidade perdida”.
Frisando que quem manda no orçamento da Educação é o Ministro das Finanças, Margarida Mano afirmou esta segunda-feira que “o Orçamento é mais uma oportunidade perdida”. No debate na generalidade do Orçamento para 2019, a Vice-Presidente da bancada do PSD referiu que existem várias diferenças entre o governo e o PSD, sendo que a principal “diferença de atitude que existe entre nós é a ambição. O PSD representa um país com ambição, que olha para o futuro e quer ser um Portugal melhor num mundo melhor. Esta ambição não enjeita a importância do deficit zero, mas aspiraria a um superavit estrutural. Esta ambição não aceita que o investimento em Educação seja de 2.2%, quando em 2015 era de 4.8%”.
De seguida, a parlamentar afirmou que as diferenças ideológicas traduzem-se em escolhas que desperdiçam a oportunidade. “São escolhas de um caminho de ilusão, de irresponsabilidade dos partidos que apoiam o governo. São escolhas erradas de diminuição do investimento público na formação das gerações para o futuro; de utilização de receita excecional para cobrir despesa corrente; de injustiça territorial para com os cidadãos dos territórios de baixa densidade e de medidas populistas que criam iniquidade social”.
É um orçamento de “medidas eleiçoeiras” refere a deputada, citando o insuspeito ex-eurodeputado socialista Vital Moreira.
Na Educação e no Ensino Superior são introduzidas medidas que “vão beneficiar quem menos precisa à custa dos que de mais ajuda carecem. Veja-se a redução do valor da propina máxima: é uma medida que não facilita a vida aos mais carenciados, que já recebem bolsa, e que de forma perversa, ao baixar o limite de rendimento, retira cerca de 1500 bolseiros ao sistema. Justiça social significaria usar esses 50 milhões de euros em Ação Social e em alojamento”.
Estes e outros dados demonstram, na opinião de Margarida Mano, que “a educação não foi nem é uma aposta para este governo. Pelos dados que este Orçamento revela, e também pelos que não revela, como é possível dizer que a educação foi uma aposta desta legislatura quando nos apresenta um orçamento pouco rigoroso e a níveis de investimento inferiores a 2015? A situação é insustentável e pede ações decisivas, estruturais, ao invés de opções de curto prazo, que nos distraem do fundamental da governação: saber elevar Portugal ao estatuto que merece no mundo, ao invés de apenas gerir um status quo”.

30-10-2018 Partilhar Recomendar
05-07-2019
Duarte Marques: “os estudantes de Fátima não têm culpa da vossa cegueira ideológica”
    Para o deputado, seja público ou privado, o que importa é que os jovens tenham acesso uma escola de qualidade.
02-07-2019
PSD propõe a criação de uma Comissão para preparar o Futuro
    Margarida Mano lembrou que os deputados estão no Parlamento “para servir o Presente e preparar o Futuro”.
02-07-2019
Gratuitidade dos manuais escolares: PSD alertou que a medida estava mal desenhada e ia ser mal implementada
    Ana Sofia Bettencourt enfatiza que o tempo veio dar razão às preocupações manifestadas pelos sociais-democratas.
21-06-2019
Governo prometeu 1000 novos assistentes operacionais nas escolas. Não colocou nenhum.
    Pedro Pimpão questionou ao executivo quando é que cumpre a sua palavra e dota as escolas de meios técnicos e humanos.
12-06-2019
“O PSD é a favor do empréstimo de manuais escolares aos alunos do ensino obrigatório”
    Ana Sofia Bettencourt reiterou a posição dos sociais-democratas, mas apontou algumas das reservas relativamente à forma e modo da sua implementação.
10-05-2019
António Costa revelou a sua falta de sentido de Estado e de responsabilidade
    Fernando Negrão sustentou ainda que “confiar ao PS a garantia das boas contas é como confiar à raposa a guarda do galinheiro”.
10-05-2019
Professores: proposta do PSD traduzia um firme compromisso de responsabilidade e de confiança do país para com a educação
    Em sentido contrário, lamenta Margarida Mano, temos um PS que considera “ludibriar as pessoas um talento digno de elogio”.
08-05-2019
Pedro Pimpão: “estamos perante uma crise encenada, uma farsa”
    O deputado acusou o governo de ter instrumentalizado os professores por mero “tacticismo político”.
08-05-2019
“António Costa pretende acabar a Legislatura como a começou: com um golpe parlamentar”
    Adão Silva sublinhou que para o PSD “o equilíbrio das contas públicas é inegociável”.
08-05-2019
Para o governo o PCP passou a ser um “zero à esquerda”
    Álvaro Batista considera que se trata de uma “desconsideração” por um partido que tem sido “muleta do governo”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas