Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Margarida Mano: “a educação não foi nem é uma aposta para este governo”
A deputada considera que, também na área da educação, “o Orçamento é mais uma oportunidade perdida”.
Frisando que quem manda no orçamento da Educação é o Ministro das Finanças, Margarida Mano afirmou esta segunda-feira que “o Orçamento é mais uma oportunidade perdida”. No debate na generalidade do Orçamento para 2019, a Vice-Presidente da bancada do PSD referiu que existem várias diferenças entre o governo e o PSD, sendo que a principal “diferença de atitude que existe entre nós é a ambição. O PSD representa um país com ambição, que olha para o futuro e quer ser um Portugal melhor num mundo melhor. Esta ambição não enjeita a importância do deficit zero, mas aspiraria a um superavit estrutural. Esta ambição não aceita que o investimento em Educação seja de 2.2%, quando em 2015 era de 4.8%”.
De seguida, a parlamentar afirmou que as diferenças ideológicas traduzem-se em escolhas que desperdiçam a oportunidade. “São escolhas de um caminho de ilusão, de irresponsabilidade dos partidos que apoiam o governo. São escolhas erradas de diminuição do investimento público na formação das gerações para o futuro; de utilização de receita excecional para cobrir despesa corrente; de injustiça territorial para com os cidadãos dos territórios de baixa densidade e de medidas populistas que criam iniquidade social”.
É um orçamento de “medidas eleiçoeiras” refere a deputada, citando o insuspeito ex-eurodeputado socialista Vital Moreira.
Na Educação e no Ensino Superior são introduzidas medidas que “vão beneficiar quem menos precisa à custa dos que de mais ajuda carecem. Veja-se a redução do valor da propina máxima: é uma medida que não facilita a vida aos mais carenciados, que já recebem bolsa, e que de forma perversa, ao baixar o limite de rendimento, retira cerca de 1500 bolseiros ao sistema. Justiça social significaria usar esses 50 milhões de euros em Ação Social e em alojamento”.
Estes e outros dados demonstram, na opinião de Margarida Mano, que “a educação não foi nem é uma aposta para este governo. Pelos dados que este Orçamento revela, e também pelos que não revela, como é possível dizer que a educação foi uma aposta desta legislatura quando nos apresenta um orçamento pouco rigoroso e a níveis de investimento inferiores a 2015? A situação é insustentável e pede ações decisivas, estruturais, ao invés de opções de curto prazo, que nos distraem do fundamental da governação: saber elevar Portugal ao estatuto que merece no mundo, ao invés de apenas gerir um status quo”.

30-10-2018 Partilhar Recomendar
31-10-2018
Sara Madruga da Costa: Orçamento do Estado é péssimo para a Madeira
    A deputada considera que o documento foi feito para enganar os portugueses.
30-10-2018
“Ano eleitoral e governo socialista equivale ao vale tudo”
    Fernando Negrão declarou que o governo apresentou um “Orçamento fake, um Orçamento falso, um embuste, um logro, ou em bom português: uma aldrabice”.
30-10-2018
Cultura: média de um Ministro por ano é “a evidência do fracasso da política cultural do governo”
    José Carlos Barros referiu que a “inação” é a marca da governação das esquerdas.
30-10-2018
“O PS não perdoa os madeirenses por terem dado 49 vitórias eleitorais ao PSD e nenhuma ao PS”
    Paulo Neves assegurou que o cerco que António Costa está a fazer à Madeira o vai levar a uma nova derrota.
30-10-2018
“Ministro do Planeamento e das Infraestruturas está refém das cativações das Finanças”
    Luís Leite Ramos apelidou Pedro Marques de “Ministro dos cativos”.
30-10-2018
Emídio Guerreiro alerta que nos próximos meses vamos assistir a membros do governo a anunciar obras e mais obras
    O deputado falou na “escola socrática” e ironizou: “se cada um levasse uma pá e um balde de cimento já muitas dessas obras estariam feitas”.
30-10-2018
Teresa Leal Coelho acusa os partidos da esquerda de passarem “cheque em branco” ao governo
    É desta forma que a deputada vê a posição dos deputados que apoiam um orçamento que cativa 590 milhões de euros sem dizer onde.
30-10-2018
Ricardo Baptista Leite: “a Saúde não é prioridade para este governo”
    O deputado alertou que são os doentes que pagam a conta da má governação socialista.
30-10-2018
“O investimento a realizar em 2019 será muito inferior ao orçamentado”
    Virgílio Macedo revela que o Orçamento já prevê 590 milhões de euros em cativações.
30-10-2018
Combustíveis: Ministro das Finanças fez uma “monstruosa encenação”
    Cristóvão Norte desmontou o monumental embuste do governo.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas