Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Transportes: PSD apresenta propostas para criar um regime inovador para as plataformas eletrónicas
Emídio Guerreiro enfatiza que ficam igualmente eliminadas as lacunas identificadas no veto presidencial.
O Parlamento procedeu, esta quinta-feira, à reapreciação do Decreto da Assembleia da República sobre o regime jurídico da atividade de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica.
Em nome do PSD, Emídio Guerreiro começou por frisar que, no entender do PSD, estes operadores são operadores de transportes e não meras ferramentas eletrónicas, algo que o Tribunal de Justiça da União Europeia deixou bem claro nos seus acórdãos. Recordando que esta diferença de abordagem condicionou durante muito tempo o debate parlamentar, tendo o PSD de esperar que os outros partidos compreendessem que assim era, o Vice-Presidente da bancada do PSD saudou o facto de o PS ter evoluído na sua opinião e ter vindo ao encontro deste paradigma, permitindo assim construir uma legislação clara nos direitos e deveres dos operadores, acompanhando os modelos que vão surgindo por toda a Europa. “Deste modo, salvaguardamos os interesses dos cidadãos, os diretos dos trabalhadores de ambos os modelos e regulamentamos a formação necessária aos motoristas. Poderia ter sido mais rápido? Sim, mas isso nunca dependeu do PSD. Tivemos de esperar que outros evoluíssem no seu pensamento”.
No que respeita aos motivos que sustentaram o Veto do Presidente da República, Emídio Guerreiro afirmou que no que se refere ao primeiro (que este diploma não incide sobre o regime legal do táxi), a assembleia teve oportunidade de dizer que estava atenta a esta questão, tendo já aprovado recomendações ao governo. Relativamente à segunda reserva levantada pelo Presidente (que a contribuição prevista na legislação era incipiente face às obrigações dos outros modelos), o social-democrata frisou que ela vai de encontro ao que o PSD sempre defendeu. “Se o operador da plataforma eletrónica é um operador de transporte ele deve ser, não só o responsável pelo sistema, mas tem de contribuir para os custos de regulação, IMT, Autoridade da Mobilidade e dos Transportes e para o fundo do serviço público de transportes. O PSD foi o único partido que em sede de especialidade apresentou proposta para que estas operadoras tivessem de fazer uma contribuição de 5%. Considerando as razões invocadas na devolução do diploma e o histórico do processo legislativo, acreditamos que hoje existem condições para que esta assembleia aprove o regime que satisfaça o sector dos transportes, os cidadãos e as reservas do Presidente da República”.
A terminar, o Vice-Presidente da “bancada laranja” apresentou as duas propostas de alteração do PSD: uma que visa clarificar a forma como a atividade de táxi pode, em simultâneo, desenvolver atividade de transporte em veículo descaracterizado a partir de plataforma eletrónica e uma segunda em que se recupera o valor da contribuição da proposta inicial do PSD, fixando em 5% os valores da taxa de intermediação cobrada pela operadora de plataforma eletrónica em todas as suas operações.
A terminar, Emídio Guerreiro afirmou que com estas propostas “esperamos suprir as lacunas identificadas no veto presidencial e avançar com um regime inovador que trará ao sistema regras claras, permitindo a persistência de um modelo convencional e do modelo transporte em veículo descaracterizado a partir de plataforma eletrónica”.

12-07-2018 Partilhar Recomendar
31-05-2019
Governo sabia que estava a “enganar os portugueses” quando fazia cativações
    Fátima Ramos recordou as consequências das cativações nos transportes públicos.
31-05-2019
O PSD tem a obrigação de denunciar o caos em que se transformou todo o serviço de transporte público em Portugal
    Carlos Silva afirmou que o PSD tem a obrigação de dar voz aos cidadãos que se sentem prejudicados por este caos.
29-05-2019
Duarte Pacheco: linha ferroviária do Oeste “está numa situação caótica”
    O social-democrata recordou que o governo das esquerdas adiou as obras previstas no projeto de requalificação.
29-05-2019
Soflusa: Bruno Vitorino exige respeito pelas pessoas
    O social-democrata lamentou que os governantes que podem resolver os problemas continuem a “enfiar a cabeça na areia”.
29-05-2019
Transportes: “o governo tenta disfarçar as suas responsabilidades atrás de uma propaganda panfletária”
    Carlos Silva afirmou que os constantes anúncios do governo não saíram do papel.
13-05-2019
Cativações e cortes no investimento. “Chama a isto boa gestão das contas públicas?”
    Fernando Negrão acusou António Costa de fazer um “brilharete nas contas” à custa de corte no investimento.
08-05-2019
PSD defende a construção de uma ligação rodoviária em perfil de autoestrada entre Viseu e Coimbra
    Pedro Alves frisou que esta é a maior e mais urgente prioridade nacional em investimento rodoviário.
03-05-2019
“Pedro Marques passava os dias a anunciar comboios fantasmas e a repetir anúncios”
    De acordo com Carlos Silva tudo acabou “num verão catastrófico, com comboios a caírem aos bocados e a serem suprimidos”.
03-05-2019
“Nunca um governo fez tão pouco investimento público”
    Fátima Ramos considera que “os portugueses foram condenados à degradação dos Serviços Públicos”.
03-05-2019
“BE assiste tranquilamente ao descarrilamento do setor ferroviário”
    Helga Correia acusou a esquerda ter “fechado os olhos e aplaudido” as cativações.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas