Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Incompatibilidade do Ministro Pedro Siza Vieira não tem consequências?” Fernando Negrão exige esclarecimentos “a bem da ética”
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Fernando Negrão questionou ainda António Costa sobre valorização do interior e os problemas no sector da Saúde.
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro sobre “políticas de valorização do interior”, Fernando Negrão registou a importância do tema agendado pelo executivo, mas sublinhou que é “claro que este tema não está nas melhores mãos”. De acordo com o Presidente da bancada do PSD, todos sabemos a forma como este governo lidou com os incêndios do ano passado, com negligência e descuido, frisando o deputado que espera que os anúncios agora feitos pelo governo sejam realmente implementados.
De seguida, o líder do Grupo Parlamentar do PSD referiu que para além das inúmeras intervenções que o PSD tem feito sobre esta matéria, “o PSD vai realizar as suas Jornadas Parlamentares na cidade da Guarda e o tema será a valorização do interior. E aqui, manifestamos toda a nossa disponibilidade para juntar as nossas propostas às vossas e podermos levar a cabo um trabalho de consenso, se for possível, entre todos os partidos desta casa”. Dirigindo-se a António Costa, Fernando Negrão lançou o desafio: “saber se está disposto a avançar com medidas concretas, devidamente calendarizadas e com compromisso firme de comprimentos por forma a não voltar a falhar aos portugueses?”

Conflito de interesses do Ministro Pedro Siza Vieira

O segundo tema levado a debate por Fernando Negrão prendeu-se com as notícias de que o Ministro Pedro Siza Vieira acumulou a função governamental com a de sócio gerente de uma empresa. O líder da “bancada laranja” questionou ao Primeiro-Ministro se não considera que “existe aqui uma incompatibilidade”.
No que respeita à notícia de que o governante, que foi sócio da sociedade de advogados Linklaters antes de entrar no Governo, se encontrou com os clientes da sua antiga empresa, a China Three Gorges, quando já integrava o executivo e antes do anúncio da Oferta Pública de Aquisição (OPA) desta empresa chinesa à EDP, o social-democrata questionou ao Primeiro-Ministro se o pedido de escusa do Ministro não foi atrasado, uma vez que o Ministro já tinha intervindo em matérias relacionadas com o setor elétrico, nomeadamente em questões relacionadas com as negociações sobre a EDP. Ainda a propósito desta matéria, o parlamentar perguntou a António Costa o que justifica o facto de ter sido o Ministro-Adjunto a reunir com os representantes chineses e não o Ministro da Economia.

António Arnaut “foi, e será, uma figura notável da democracia portuguesa”

A terminar, Fernando Negrão levou, uma vez mais, a temática da Saúde ao debate quinzenal. O deputado começou por manifestar condolências “muito sinceras” no que respeita ao falecimento de António Arnaut. “Foi, e será, uma figura notável da democracia portuguesa”, afirmou Fernando Negrão, acrescentando que “deixou uma marca indelével na vida política nacional”.
Dirigindo-se a António Costa, o líder da bancada do PSD frisou que “a melhor forma de homenagear o Dr. António Arnaut é preservar a sua obra e garantir a todos os portugueses que continuarão a ter um SNS sustentável, equilibrado e acessível a todos”. Destacou, no entanto, que “não é esse o SNS que temos hoje”. Fernando Negrão referiu-se às situações concretas de dificuldades existentes no País, como a demissão de dirigentes no Centro Hospitalar de Tondela-Viseu, a falta de médicos em Guimarães e de enfermeiros no Hospital de Santa Maria. “Qual é o plano que o senhor Primeiro-Ministro tem para todos podermos continuar a honrar o Dr. António Arnaut na preservação do SNS”, perguntou o social-democrata.

23-05-2018 Partilhar Recomendar
26-02-2020
“O interior viu acentuar-se o seu despovoamento e adiado o seu desenvolvimento”
    Jorge Mendes lamentou que o PS tenha chumbado as propostas do PSD que promoviam a coesão territorial e a valorização dos territórios do interior.
19-02-2020
“Os portugueses têm assistido a uma crescente e evidente deterioração das condições de acesso ao SNS”
    Sandra Pereira refere que essa deterioração é particularmente visível nas cirurgias, consultas hospitalares de especialidade e nos exames complementares de diagnóstico e terapêutica.
13-02-2020
Interior: “é urgente inverter esta dinâmica de esvaziamento e de morte lenta”
    Isaura Morais afirmou que o PSD tudo fará para que “passemos das palavras aos atos”.
12-02-2020
Inoperacionalidade dos helicópteros do INEM compromete meios de socorro às populações
    Os deputados do PSD estão preocupados com uma série de falhas detetadas no sistema de emergência médica helitransportada do INEM.
12-02-2020
É inadmissível que existam hospitais do SNS que não adquiram os medicamentos que os seus doentes precisam
    Álvaro Almeida fala numa “falta de financiamento” que resulta em problemas no acesso aos cuidados de saúde.
06-02-2020
Deputados do PSD reclamam nomeação de diretor clínico para o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga
    António Topa, Helga Correia e Carla Madureira e questionaram a Ministra da Saúde.
05-02-2020
PS votou contra a criação de camas de cuidados continuados
    Álvaro Almeida criticou a irresponsabilidade dos socialistas.
04-02-2020
Desenvolvimento do Interior: Carlos Peixoto defende elevação desta matéria a prioridade máxima nacional
    O Vice-Presidente da bancada do PSD considera que este tem de ser um objetivo genuíno de todos os partidos.
04-02-2020
Álvaro Almeida: propostas do PSD garantem um acesso mais atempado e equitativo dos portugueses aos serviços de saúde
    O deputado considera que o problema da falta de acesso dos utentes aos serviços do SNS é a marca da governação falhada do PS na área da saúde.
03-02-2020
PSD defende uma redução de 15% dos custos com médicos tarefeiros
    Rui Cristina recordou que a própria Ministra da Saúde descreveu esta situação como “um cancro que está a percorrer o SNS”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas