Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Economia: governo não resolve os problemas, vive das conjunturas e tenta aproveitar a onda
Paulo Neves condenou a ausência de uma “estratégia clara e bem definida” por parte do executivo.
“Falar de economia e de internacionalização é falar de turismo, é falar de investimento estrangeiro em Portugal, é falar de investimento português no estrangeiro. É falar de financiamento às empresas portuguesas e de banca multilateral. É falar da rede diplomática portuguesa e da rede da AICEP. É falar também da diversificação de mercados em especial juntos das economias emergentes. Tudo isto é economia e tudo isto faz parte da internacionalização da economia portuguesa”. Estas foram as palavras iniciais de Paulo Ramos no debate sobre a “Internacionalização da Economia Portuguesa”.
De acordo com o deputado, o anterior governo do PSD fez um trabalho notável na internacionalização da economia portuguesa. “Passámos de 29% do PIB para 42% do valor do PIB em exportações portuguesas. Diversificámos mercados, adaptámo-nos rapidamente às exigências da competitividade. Também no turismo, o governo soube preparar Portugal para as oportunidades do enorme crescimento do turismo europeu, mas também mundial. Se dúvidas existissem, que se observem os números dos últimos anos do turismo em Portugal que são também, naturalmente, consequência das políticas do passado. Mas na verdade, quem deve ser claramente elogiado nesta matéria são aqueles que investem no turismo, aqueles que trabalham no turismo, aqueles que gerem o turismo e que inovam”.
No que respeita à atuação do executivo, Paulo Neves lamenta que o atual governo não esteja a cumprir com algumas obrigações mínimas em algumas matérias relacionadas com o turismo. “Desde logo, quanto ao maior aeroporto do país. Aquilo que se assiste, tantas vezes, no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, é absolutamente inaceitável. Ver turistas, que por vezes têm que esperar 2 horas para passarem pelos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, não é próprio. O governo, que tem sido constantemente alertado pelo PSD quanto a esta questão, não tem sabido resolver o problema. Pura incompetência do governo em resolver uma questão que causa enormes constrangimentos àqueles que nos visitam”.
De seguida, o deputado referiu-se aos enormes constrangimentos do aeroporto de Lisboa, no que se refere à gestão de trafego aéreo. De acordo com o parlamentar, “Portugal está e irá perder milhões de turistas que não têm forma de chegar a lisboa pois o aeroporto da capital não pode aceitar todos pedidos de companhias aéreas que querem voar para Portugal. Um grave problema que este governo não tem sabido resolver e que na melhor das hipóteses só terá solução implementada para finais de 2022. Até lá perderam-se milhões de turistas e dezenas de milhões de euros em receitas”.
Face a esta realidade, Paulo Neves lamenta que “onde existem problemas o atual governo desaparece e recusa-se a assumir as suas responsabilidades e a apresentar soluções rápidas e eficientes, como seria de esperar. É um governo que, também neste caso, vive das conjunturas. Se forem boas conjunturas disfarça o que está mal e tenta aproveitar a onda”.
A terminar, Paulo Neves declarou que “só quando este governo tiver uma estratégia clara e bem definida é que os resultados serão sólidos e douradores. Até lá, limitamo-nos a aproveitar a conjuntura”, lamentou o social-democrata.

16-05-2018 Partilhar Recomendar
19-02-2010
PSD questiona possibilidade de reabertura da Linha de Apoio à Internacionalização de Patentes
    Deputados alertam a necessidade de proteger a criatividade nacional
19-02-2010
PSD pede divulgação dos dados referentes ao registo e licenciamento de patentes
    Deputados querem acesso ao número de pedidos nacionais, europeus e internacionais
19-02-2010
OPINIÃO / Ajuste de Contas
    De acordo com a Universidade Católica, o valor de 9,3 por cento de défice nas contas do Estado é “surpreendente” e poderia corresponder a um “esforço do Governo no sentido de imputar às contas de 2009 o máximo de défice possível” com vista a “tornar mais evidente a trajectória de redução do défice em 2010 e nos próximos anos”.
15-02-2010
Almeida Henriques interroga extinção da actividade de certificação da instalação de infra-estruturas de telecomunicações em edifícios
    Deputado quer conhecer motivos para concentração na mesma entidade da instalação e certificação de edifícios
11-02-2010
PSD aponta falhas nos Programas de Apoio ao Empreendedorismo Jovem
    Deputados supervisionam desempenho do Programa FINICIA Jovem
11-02-2010
Deputados eleitos pela Região Autónoma dos Açores questionam actuação do BPN e BPP
    Mota Amaral e Joaquim Ponte preocupados com ressarcimento dos clientes destes bancos
05-02-2010
Deputados eleitos pelos Açores alertam para falta de crédito para empresas no arquipélago
    Mota Amaral e Joaquim Ponte pedem respostas concretas do Governo para evitar colapso de empresas
Início Anterior
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas