Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
O PS não tem um propósito para o país e deixou-se levar pela esquerda-radical
Carlos Barros considera que temos “um governo tóxico para o país”.
No debate sobre as reformas antecipadas e as longas carreiras contributivas, Carla Barros questionou a bancada socialista sobre a encenação protagonizada pelos bloquistas. “Que encenação é esta em que temos um partido que apoia esta solução de governo a pedir explicações ao PS? O que é que está a acontecer neste Parlamento hoje, para que o BE, que subscreve juntamente com o PS os compromissos aos portugueses, esteja aqui a apresentar uma série de falhas e a apresentar um cartão vermelho ao PS?”
Segundo a deputada, os bloquistas pretendem aparecer com uma espécie de “alma limpa”, como se não tivessem nada a ver com aquilo que está a acontecer hoje. Contudo, vinca a deputada, o compromisso foi feito de forma conjunta, portanto “quando mentem aos portugueses, mentem de forma conjunta”.
De seguida, Carla Barros destacou que o tema das reformas antecipadas e longas carreiras contributivas é de especial interesse e de extrema importância para o Grupo Parlamentar do PSD. “Estamos a falar de um assunto que tem impacto direto e imediato na vida dos trabalhadores e no dia-a-dia das suas famílias. Reconhecemos que o sistema tem imperfeições que precisam de ser reparadas. Reconhecemos que há uma enorme necessidade de se fazer um debate sério, mas não ao abrigo deste oportunismo político e mediático feito pelo BE”.
No entendimento da deputada, os pensionistas estão à espera de uma resposta de todos os partidos que alimentam esta solução governativa. “Mas nós já não temos ilusões e tenho a certeza que os portugueses também já não. Já passaram quase 3 anos de governo e o que encontramos é um PS sem propósito para o país, sem coragem, que se deixou levar pela esquerda-radical”.
Depois de recordar vários exemplos semelhantes a este, como o caso dos precários que até hoje estão sem resposta, Carla Barros criticou esta forma de fazer política e sublinhou que passado quase 3 anos temos “um governo tóxico para o país”.

11-04-2018 Partilhar Recomendar
18-07-2018
Pessoas em situação de sem-abrigo: PSD defende a adoção de uma estratégia nacional
    Ana Oliveira afirmou que os sociais-democratas defendem uma estratégia assente em objetivos e avaliações reais.
06-07-2018
Legislação laboral: finalmente o governo reconhece que muito do que se fez deu resultados e não deve ser demagogicamente revertido
    Clara Marques Mendes saudou ainda a mudança de posição dos socialistas em relação à importância da concertação social.
06-07-2018
Geringonça: “acabaram os tempos festivaleiros das reversões e agora é tempo dos encontrões”
    Adão Silva alertou ainda para a “traição” que o PS se prepara para fazer ao que foi acordado em concertação social.
28-06-2018
A reforma da segurança social é um dos principais e mais urgentes desafios que se colocam à sociedade portuguesa
    Feliciano Barreiras Duarte defendeu a adoção de políticas de longo prazo, assentes numa prévia e séria análise do sistema.
28-06-2018
É imperativo e necessário repensar as fontes de financiamento da Segurança Social
    Adão Silva considera que esta é uma matéria que exige mais do que “medidas de cosmética e de faz de conta”.
28-06-2018
Mercês Borges critica “complexo de esquerda do PCP”
    Na base da crítica da deputada a proposta dos comunistas que cria uma taxa de 10,5% sobre todos lucros que as empresas têm.
05-06-2018
PSD desafia governo para “largo consenso” em matéria de natalidade
    Fernando Negrão considerou este “o maior problema do país” e lamentou o “vazio completo” de ideias por parte do executivo.
18-05-2018
PCP e BE estão numa “disputa fratricida” pelo título de campeão do proletariado
    Pedro Roque recordou a estes partidos que “a economia é demasiado importante para experimentalismos ou voluntarismos”.
26-04-2018
“A cultura da prevenção é um fator determinante e decisivo para combater a sinistralidade laboral”
    Clara Marques Mendes considera que este é um objetivo que deve nortear todos os decisores.
11-04-2018
Governo e os partidos de esquerda estão em estado de gestão de eleições e de eleitorado
    Clara Marques Mendes apelou ao executivo e aos partidos que o suportam para que coloquem os interesses dos portugueses à frente dos seus interesses eleitorais.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas