Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Governo das esquerdas já envolveu na banca mais de 10 mil milhões de euros dos contribuintes
António Leitão Amaro afirmou que este Tempo Novo das Esquerdas traz negócios ruinosos para os contribuintes, mas generoso para os bancos.
“Eu ainda sou do tempo em que as esquerdas gritavam contra mais dinheiro para a banca. Ainda sou do tempo em que António Costa, já Primeiro-Ministro, prometia não envolver mais dinheiro dos contribuintes para a banca e dizia que não dava garantias públicas na venda do Novo Banco. Ainda sou do tempo em que as esquerdas gritavam contra os salários altos dos banqueiros. Ainda sou do tempo em que a esquerda gritava contra o encerramento de balcões e mais despedimentos nos bancos. Mas também sou do tempo em que o governo do PSD e do CDS recapitalizavam bancos, vendo, por exemplo, BPI e BCP devolverem tudo ao Estado com juros muito altos e com cortes de 50% nos salários dos administradores dos bancos. Eu fui desse tempo, mas ele acabou.” Estas foram as palavras iniciais de António Leitão Amaro no debate relativamente a várias iniciativas referentes ao Novo Banco.
De seguida, o Vice-Presidente da bancada do PSD afirmou que neste tempo novo “o governo das esquerdas envolveu já, para os bancos, mais de 10 mil milhões de euros dos contribuintes, mais de mil euros por português”. “Neste novo tempo os salários dos administradores da Caixa triplicaram. Neste novo tempo o governo das esquerdas acordou mais encerramentos de balcões e mais gente mandada embora dos bancos. No tempo novo, aquela conversa fingida da restruturação da dívida, deu lugar a uma restruturação da dívida dos bancos em prejuízo dos contribuintes. No tempo novo privilegiam-se os bancos, dando-se-lhes créditos fiscais que se retiram às outras empresas. Afinal, este Tempo Novo das Esquerdas traz negócios maus e ruinosos para os contribuintes, mas generoso para os bancos”.
Em relação a este cenário, refere o deputado, que o PS que dizia que a venda do Novo Banco era um ruinoso e que havia que nacionalizar, agora está caladinho. “PCP e BE dão tiros de pólvora seca, mas continuam firmes no apoio parlamentar, certos no lugar da sua maioria apoiando as suas medidas. E o que é que fazem? Trazem a votos a paragem desta venda? Trazem a voto o perdão aos bancos? Não, em jeito de espantalho parlamentar, para distrair de dois maus negócios do Governo que apoiam, trazem iniciativas que mais custos ainda trazem”.
A terminar, António Leitão Amaro afirmou que os partidos da esquerda estão no tempo novo, na maioria parlamentar que penaliza os contribuintes e ajuda os bancos.

21-04-2017 Partilhar Recomendar
03-11-2017
“No Orçamento para 2018 não há uma visão de futuro para o país”
    Para Maria Luís Albuquerque é de lamentar que “quem tem a responsabilidade de governar desperdice deliberadamente a oportunidade de assegurar um futuro mais sustentável”.
20-10-2017
Cativações colocaram em causa a qualidade dos serviços públicos
    Duarte Pacheco afirmou que até o PCP reconhece essa realidade.
20-09-2017
PSD apresenta propostas para reforçar a supervisão financeira e completar a União Bancária
    Maria Luís Albuquerque sublinhou a necessidade de alterações que conduzam à proteção dos contribuintes e a uma sustentada confiança no mercado e nas instituições.
19-07-2017
António Leitão Amaro acusa PS, PCP e BE de fazerem um perdão à banca de 630 milhões de euros
    O Vice-Presidente da bancada do PSD alertou que quem paga são os contribuintes.
07-07-2017
“Este é o governo da instabilidade fiscal sobre as famílias e sobre a economia”
    Jorge Paulo Oliveira acusou o governo de estar constantemente a alterar impostos e benefícios fiscais.
07-07-2017
Luís Montenegro desafiou o Ministro das Finanças a dizer onde cortou mil milhões de euros e quais as consequências
    O líder parlamentar do PSD enfatizou que a austeridade manhosa colocou os serviços públicos à míngua.
07-07-2017
Cativações do governo levaram o Estado a falhar nas suas funções essenciais
    António Leitão Amaro afirmou que, contrariamente ao que era dito pela propaganda da esquerda, em 2016 o governo cativou mil milhões de euros.
06-07-2017
“O ano de 2015 foi marcado pela continuação da recuperação da atividade económica”
    No debate da Conta Geral do Estado de 2015, Cristóvão Crespo lamentou que esta trajetória não se tenha mantido em 2016.
23-06-2017
PSD alerta para o atraso na transposição das diretivas do Parlamento Europeu
    Inês Domingos exige ao governo que comece a transpor de forma atempada as Diretivas que são fundamentais para a vida dos portugueses.
23-06-2017
BES: governo evitou o apuramento das responsabilidades
    Duarte Pacheco acusou ainda o executivo de estar a abrir “uma caixa de pandora para que os contribuintes paguem negócios ruinosos”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas