Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
OPINIÃO / Crise Social vs Orçamento de Estado
Poderia começar este artigo pelo orçamento, contudo, vou colocar a tónica na crise social que se arrasta. Aconteceu há dias, entre uma utente e uma assistente social de um dos Centros de Saúde do Algarve – na verdade poderia ter acontecido em qualquer parte do país.

Perante a falta de dinheiro e a falta de trabalho, uma mulher, doente asmática, com um princípio de pneumonia, em dia de chuva dirigiu-se ao Serviço Social do Centro de Saúde pedindo ajuda para a aquisição de medicamentos. Impotente, perante esta e dezenas de situações diárias, a assistente social, em desespero, disse à utente que fosse “fazer o que fazia antes”. Assistindo, uma velhinha quis dar vinte euros à mulher a qual ficou relutante em aceita-los, pois a velhinha também precisava daquele dinheiro. A assistente social insistiu com a sua utente para que aceitasse anuindo que “coisas destas não acontecem todos os dias”.

No desempenho da minha actividade profissional com toxicodependentes e muitos “sem-abrigo”, vi de perto o trabalho das assistentes sociais, muitas vezes capazes de «fazer omeletas sem ovos». Sei como é, desesperante, cada uma destas situações. São pessoas, famílias inteiras com carências inimagináveis. A impotência das assistentes perante os casos sociais aumenta. De ano para ano as verbas são reduzidas, há cada vez menos dinheiro para as situações de risco e no entanto o número de casos aumenta.

Pergunta o contribuinte – “e o Orçamento de Estado para o qual eu contribuo?”- está mal gerido! - É um orçamento que está mais preocupado com o chamado TGV, com o foro a grandes grupos económico, à banca e a grandes empreiteiros, em favorecer a criação de centrais de compras que privilegiam certas empresas de certos amigos, ao mesmo tempo que penaliza as pequenas e médias empresas locais, penaliza as famílias e descarrega todo o esforço de apoio social nas autarquias e na solidariedade do próximo. Perante a falência do sistema de apoio social do Estado, pergunto: - por quanto tempo vão as Câmaras Municipais, as IPSS e os Centros Paroquiais suportar a situação? – Um, dois anos? – E em 2011 e 2012 quando acabarem os subsídios de desemprego quem vai suportar a crise socioeconómica no seu auge? Por quanto tempo haverá velhinhas solidárias com o sofrimento dos outros? – É isto que o Governo quer para o país? – Portugueses, pobres, miseráveis e solidários uns com os outros, enquanto alguns se enchem às nossas custas para depois investir no estrangeiro? – É já este o país que temos hoje.

Enquanto se passava a cena no Centro de Saúde, o país televisivo preocupava-se com as finanças regionais e comparava os montantes cedidos à Madeira, aos Açores, a Trás-os-Montes e ao Alentejo – mas como comparar o que não é comparável?! – “Regiões”, Portugal tem duas, os Açores e a Madeira. O resto é a divisão administrativa do continente retalhado a 18 distritos, depauperados, sem investimento digno de progresso e sem que este seja, verdadeiramente, dirigido aos portugueses. Nesta matéria o distrito de Faro tem muito que se lhe diga pois nos últimos 5 anos foi o mais penalizado de todos. Na prática este foi o orçamento apresentado – só agrava a situação existente.

19-02-2010 Partilhar Recomendar
10-01-2020
650 mil portugueses sem médico de família comprovam o falhanço da governação socialista
    Referindo-se às promessas do governo, Rui Cristina lembrou igualmente o novo hospital do Algarve que continua sem sair do papel.
10-01-2020
Governo infligiu uma degradação sem precedentes ao SNS
    Alberto Machado denunciou as consequências das cativações no setor da saúde.
10-01-2020
Ricardo Baptista Leite: “este é um Orçamento que faz mal à saúde”
    O Vice-Presidente da bancada do PSD alerta que os portugueses assistirão, em 2020, à continuação da deterioração do Serviço Nacional de Saúde.
09-01-2020
Álvaro Almeida: a saúde não é uma prioridade deste Orçamento
    O deputado considera que “o SNS está pior hoje do que estava quando o anterior governo socialista tomou posse”.
20-12-2019
PSD defende a existência de uma rede de cuidados de hemodiálise adequada às necessidades das populações
    Hugo Oliveira fala numa rede de proximidade e com cobertura geográfica alargada.
20-12-2019
Sandra Pereira: “o PSD sempre reconheceu a relevância das terapêuticas não convencionais”
    A deputada lamentou que a governação socialista pouco ou nada faça para responder aos legítimos anseios desses profissionais.
19-12-2019
PSD questiona ministra da Saúde por falta de mamógrafo no Hospital de Chaves
    Os parlamentares consideram que a proximidade e humanização dos serviços encontra-se cada vez mais distante das localidades de baixa densidade territorial.
12-12-2019
Milhares de idosos do distrito de Santarém sem vacina contra a gripe
    PSD exige explicações e a resolução imediata do problema.
11-12-2019
PSD exige que o governo apresente um plano de ação que salvaguarde a sustentabilidade da ADSE
    Duarte Pacheco sublinha que se nada for feito a ADSE entrará em défice em 2020.
29-11-2019
Saúde: “os açorianos estão a ser considerados portugueses de segunda”
    António Ventura quer o governo a ajudar os Açores, uma vez que o Governo Regional não consegue resolver os problemas.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas